A Região Mãe da Misericórdia da Sociedade do Apostolado Católico teve seu início no ano de 1973, quando os primeiros padres palotinos da Polônia chegaram ao Rio de Janeiro. Atualmente, conta com 39 membros (padres, irmãos e seminaristas). Mas, como tudo começou?

Os primeiros padres palotinos poloneses que trabalhavam no Brasil chegaram no início do século XX, o Pe. Augustyn Zaraza SAC, e nos anos 1941- 43, Pe. Mieczysław Curzydło SAC. Em ano 1971, da França chegou Pe. Jose Maślanka SAC. No entanto, estamos contando a história da Região desde oano 1973, quando três palotinos da Província de Cristo Rei, Pe. Jan Jedraszek, Pe. Tadeu Korbecki e Pe. Ceslau Zając partiram oficialmente para o Brasil. Mas esse não foi o início de tudo, pois o começo deve-se ao apelo do papa João XXIII, em 1959, pedindo que a Igreja da Europa enviasse padres, seminaristas, religiosos e religiosas para a América Latina. Fazendo seu o apelo do papa, o Reitor Geral dos palotinos, Pe. Guilherme Müller, dirigiu-se a Sociedade do Apostolado Católico pedindo aos membros que ouvissem o apelo da Igreja. No espírito de serviço proposto por São Vicente Pallotti, dois seminaristas da Província polonesa, Romano Forycki e Ceslau Zajac, ofereceram-se para partir em missão para o Brasil; recebendo no ano de 1960 a autorização do Governo Geral, a convite da Província de São Paulo. Sobre a proteção de São José e tendo o Pe. Ceslau Zając como superior do grupo, no dia 19 de março de 1973 os três padres saíram da Polônia para a França; da França voaram para o Brasil chegando em solo brasileiro no dia 5 de abril, se dirigindo para Getúlio Vargas – RS, onde foram recebidos com grande alegria e logo convidado para confessar o povo. Em outubro de 1973 o Reitor Geral, Pe. Nicolau Gorman – levando em conta que os palotinos italianos queriam sair do Brasil – junto com o Padre Provincial da Província de Santa Maria e o Padre Provincial da Província de São Paulo Apóstolo decidiram entregar as paróquias dos padres italianos no Rio de Janeiro aos padres poloneses. Em maio de 1974 o Conselheiro Geral, Pe. Henryk Kietliński e o Provincial dos padres palotinos italianos vieram de Roma para o Brasil para fechar a Delegação italiana e abrir a Delegação polonesa da Mãe da Misericórdia. Assim no ano de 1974 os três palotinos poloneses assumiram os trabalhos na Paróquia de São Roque em Vila Valqueire (30 de novembro) e Santa Isabel em Bento Ribeiro (20 de dezembro) no Rio de Janeiro. Nos anos seguintes, sucessivos sacerdotes da Polônia chegaram gradualmente, abraçando novas paróquias e, ao mesmo tempo, liderando o trabalho das vocações locais.

Entre os novos chegados para a Delegação estava o Pe. Eugênio Feldo que chegou no Brasil no dia 16 de agosto de 1981. Infelizmente a alegria de sua chegada se converteria em pranto no dia 7 de setembro de 1981, menos de um mês de sua chegada, quando tragicamente durante um banho de praia, Pe. Eugênio, acaba morrendo afogado. No entanto sabemos que os sangues dos mártires regam a Igreja para que esta cresça e produza mais frutos. Infelizmente a Delegação Mãe da Misericórdia irá chorar mais uma vez a morte de um de seus membros no dia 16 de outubro de 1981, desta vez seria Pe. Mariano Skorzynski que morrera afogado nas águas do rio Negro no estado do Amazonas quando foi visitar o Pe. José Maslanka. Em maio de 1983 a Delegação Mãe da Misericórdia se alegraria por criação a paróquia da Divina Misericórdia tendo o Pe. Tadeu Korbecki como pároco, esta paroquia no ano 2010 torna-se santuário diocesano da Divina Misericordia do Rio de Janeiro. Em 12 de maio de 1988 começa a construção da casa palotina sobre o comando do Pe. Estevão Kajfasz; o dinheiro para construção da casa veio todo do exterior exceto para mobiliar a casa. Nesta casa em maio de 1990 realiza-se o encontro dos Superiores Palotinos da América Latina. No dia 1 de fevereiro de 1991 o Pe. Adam Kowalik junto com os seminaristas Antônio Aguiar e Marcelo Néspoli inauguram o Seminário Maior Palotino na casa palotina. Graças à bênção de Deus e ao sacrifício dos coirmãos palotinos atualmente na Região conta já 15 membros da consagração perpétua brasileiros.

No dia 1 de outubro de 1991 é assumida pela Delegação a paróquia de Odivelas – subúrbio de Lisboa em Portugal – e tem como seu primeiro pároco palotino Pe. Ludovico Homa. No dia 22 de janeiro de 1995 é inaugurado o Noviciado da Delegação Mãe da Misericórdia em Teresópolis – RJ (na casa dos Capuchinhos), com 4 noviços e tendo como primeiro mestre Pe. João Francisco Pietrus. A Delegação Mãe da Misericórdia se alegra no dia 13 de novembro de 1996, quando é ordenado o primeiro nativo, Pe. Antônio Aguiar pela imposição das mãos do reverendíssimo Bispo de Nova Friburgo, Dom Frei Alano maria Pena OP. No ano de 1999 a Delegação adquire uma casa para o Noviciado em Guapimirim – RJ. Começa um grande trabalho para a recuperação e adaptação da casa, que foi comanda pelo então ecônomo Pe. Cristovão Sopicki. No dia 1 de junho de 2001, o Governo Geral proclama a criação da Região Mãe da Misericórdia, com território canônico nos estados do Rio de Janeiro, Espírito Santo e Minas Gerais. A 22 de janeiro de 2002 é inaugurada a Região Mãe da Misericórdia, com o primeiro Reitor Regional Pe. Tadeu Domański. Em março de 2019 Pe. Jorge Chmielecki e Ir. Elson Carvalho da Silva Filho começaram o trabalho no México.

Atualmente a Região trabalha em 16 paroquias sendo os 11 no estado do Rio de Janeiro, as 2 no estado do Amazonas, 2 em Portugal e uma no México. O atual governo da Região Mãe da Misericórdia é composto pelo: Pe. Estevão Lewandowski – Reitor Regional, Pe. Josiel da Silva Azevedo – Primeiro Conselheiro e Ecônomo, Pe. Jorge Chmielecki – Conselheiro, Pe. Artur Karbowy – Secretário da Região.