Pe. Tadeusz Stanisław (Tadeu) Korbecki (1941 – 2016), missionário no Brasil 1973 – 1998 e México 1999 – 2008, co-fundador da Região da Mãe da Misericórdia.

Nasceu em 24 de janeiro de 1941 em Błędowa Tyczyńska, na diocese de Przemyśl na Polônia, na família do agricultor Walenty e Aniela Mazimek. No dia seguinte ele foi batizado na igreja paroquial de Chmielnik. De 1 de setembro de 1957 a 1961, foi aluno do seminário menor palotino em Wadowice.

Em Ząbkowice Śląskie, iniciou seu noviciado e em 8 de setembro de 1961 recebeu o hábito palotino das mãos do Padre Provincial Eugeniusz Weron. Também em Ząbkowice, dois anos depois, pelas mãos desse Provincial, fez sua primeira consagração, e a perpetua – em 8 de setembro de 1968, em Ołtarzew – pelas mãos do Padre Provincial Józef Dąbrowski. Entre 1962-64 estudou filosofia em Ołtarzew. Como seminarista, foi nomeado em 3 de novembro de 1964 para o serviço militar básico, que ele manteve em Opole até 1966. Depois de voltar ao seminário continuou seus estudos em teologia (1966-70). Foi ordenado sacerdote em 14 de junho de 1970 em Ołtarzew pelas mãos do Dom Bronisław Dabrowski.

Após a ordenação durante um ano, realizou um estudo pastoral em Gdańsk, preparando-se para o trabalho pastoral, e depois permaneceu lá até o ano 1972. Saiu de lá em 15 de janeiro de 1973 para preparar uma viagem missionária ao Brasil. Despediu-se da Polônia no dia 2 de abril para parar por um curto período em Paris e em 4 de abril voou para o Rio de Janeiro e depois para Erechim. Chegou lá em um grupo de três primeiros missionários polotinos poloneses da Região Mãe da Misericórdia, junto com Pe. Jan Jedraszek e Pe. Czeslaw Zajac. A primeira experiência pastoral aconteceu na paróquia polonesa de Getúlio Vargas, no sul do Brasil, na diocese de Erechim, e depois ele veio para o Rio de Janeiro, onde junto com Pe. Jędraszek passou por um estudo de três meses, aprofundando seus conhecimentos sobre a cultura  brasileira e língua portuguesa. Ambos ficaram com os palotinos italianos que trabalhavam há muitos anos em duas grandes paróquias de Bento Ribeiro, no subúrbio do Rio de Janeiro.

Já em 30 de junho de 1974, Pe. Tadeu tornou-se pároco da paróquia de São Roque, no Rio de Janeiro. Ele executou essa função até 1981, e então ele ficou como vigário lá. Nos anos de 1975 a 1979 ele foi vice-delegado do Provincial para o Brasil. Pe. Tadeu obteve a área no bairro de Vila Valqueire, onde em 1980 iniciou a construção da igreja de Divina Misericórdia. Com a ajuda de um arquiteto e engenheiro, ele preparou o projeto da igreja. Quando eles foram aprovados, foi possível começar. No primeiro pedido de ajuda para edificar a igreja, ninguém respondeu. O próprio Pe. Korbecki começou a cavar com uma pá. Depois chegou uma pessoa disposta a ajudar e trabalharam juntos por alguns dias. Lentamente, no entanto, as pessoas começaram a se conscientizar, começaram a ajudar, organizar equipamentos e trabalhar realmente comovidas. Portanto, já em 27 de setembro de 1981, o bispo auxiliar da Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, Dom Carlos Alberto Etchandy Gimeno Novarro, abençoou a pedra fundamental – os fundamentos da igreja foram completados. Nesta celebração participou o Retiro Geral dos palotinos Pe. Ludwig Münz.

Em 1981, ele se demitiu do cargo de pároco de São Roque e assumiu apenas a construção da igreja. A construção das paredes do templo foi concluída em maio de 1983 (até 1987 a igreja estava quase completamente terminada). A igreja foi construída sem nenhum subsídio, com esforço de muitos paroquianos e pessoas de boa vontade. Pe. Tadeu realizava obras elétricas, hidráulicas e outras obras. Já em 9 de maio de 1983 o Cardial Eugênio de Araújo Sales, arcebispo do Rio de Janeiro, fundou a paróquia da Divina Misericórdia, e Pe. Tadeu foi nomeado pároco (ele ficou até 29 de fevereiro de 1992, desde então ele estava como vigário).

Entre os anos de 1990 a 1995 foi Secretário da Divina Misericórdia na delegação da Mãe da Misericórdia. Pe. Korbecki organizou um congresso dedicado à questão da Misericórdia de Deus, publicou os documentos da Santa Sé sobre este assunto e uma pequena biografia da Irmã Faustina Kowalska, santinhos e orações. Ele executou os deveres de confessor dos noviços nos anos de 1995 – 1997. Foi nomeaado Vigário na paroquia de São Sebastião em Itaipu em 22 de abril de 1996.

Em 1998 regressou à Polónia e ficou primeiro em Gdańsk e depois em Varsóvia (a partir de 1 de Fevereiro de 1999). Em 1999, ele voltou a missão, desta vez para o México. Lá a partir de 9 de junho ele ficou como vigário da paróquia Palotina de São João Batista em Tenango del Aire (desde 2002 este é o santuário da Divina Misericórdia). Por razões de saúde, ele retornou à Polônia em 2008 e desde de 25 de agosto  ficou em Częstochowa, estando à disposição do Reitor da casa. Um ano depois, ele foi transferido para Ząbkowice Śląskie. Aqui até setembro de 2014 ele era capelão dos Padres de Bonifraters.

Em dezembro de 2014, após uma fratura de quadril, ele sofreu uma deterioração significativa da saúde. Houve também uma doença cardiovascular crônica, portanto, pouco antes de sua morte, ele foi transportado para a casa dos doentes Hospital de São  João Evangelista em Szczecin, onde depois de dois dias de sua estada, morreu no dia 9 de março de 2016 as 21:30. As cerimônias fúnebres ocorreram no dia 17 de março em Ząbkowice Śląskie na igreja do Sagrado Coração de Jesus. A missa concelebrada foi presidida pelo Reitor Provincial Pe. Adrian Galbas. Ele também fez uma homilia fúnebre, no qual  enfatizou a presença da cruz na vida e vocação do Pe. Tadeu. Ele notou que na vida do Pe. Tadeu foi atual a dimensão da experiência da cruz, sofrimento, solidão e doença, mas também o aspecto de proclamar Cristo crucificado. A morte do Pe. Tadeu, Apóstolo da Divina Misericórdia, aconteceu no Ano Santo da Misericórdia. Pe. Korbecki foi sepultado no túmulo dos palotinos no cemitério municipal de Ząbkowice Śląskie.

Pe. Tadeu teve uma grande devoção à Divina Misericórdia, ele foi o primeiro dos palotinos que propagou a devoção no Rio de Janeiro. Em 20 de maio de 1986, em sua paróquia da Divina Misericórdia, ele estabeleceu o Movimento da Divina Misericórdia. A partir de 1988, junto à comunidade  Emmanuel, na Festa da Divina Misericórdia, organizou Encontros com a Misericórdia em sua paróquia e depois no estádio municipal do Maracãnzinho. Construído pelo Pe. Tadeu a igreja da Divina Misericórdia em Vila Valqueire tornou-se em setembro de 2009 o Santuário Arquidiocesano da Misericórdia.