Novo Airao – AM

Pároco: Pe. Stanislau Krajewski SAC

Vigário: Pe. José Luiz Alves da Silva Junior SAC

A paróquia em Novo Airão está situada à beira do Rio Negro, na arquidiocese de Manaus. Em 1657 começou a evangelização desta área, com a chegada dos missionários carmelitas no local onde se iria construir a cidade de Manaus. Como silencioso fruto do trabalho deles, em vários lugares até o dia de hoje, encontram-se comunidades e capelas cujo padroeiro está ligado às carmelitas, como exemplo, Santo Elias do Jaú. Assim, também é em Novo Airão, onde o padroeiro é Santo Ângelo, primeiro santo e mártir da ordem carmelitana. Depois de anos de vivência da fé sem nenhum padre na comunidade, a devoção do povo permaneceu firme. Ocasionalmente esta região do Rio Negro foi visitada pelos padres capuchinos, salesianos e diocesanos de Manaus. A devoção a Santo Ângelo e ao Divino Espírito Santo teve grande influência no crescimento espiritual dos fiéis. No ano de 1973 junto ao Pe. José Maslanka chegaram para Manaus os padres palotinos da Província de Santa Maria. Eles receberam a proposta de assumir a paróquia de Nossa Senhora de Fatima. Em junho de 1973, Dom José de Souza Lima, arcebispo de Manaus, pediu ao Pe. José Maslanka para atender pastoralmente o município de Novo Airão, pois até então, o padre só ia lá uma ou duas vezes por ano. Em agosto do mesmo ano, graças a doação de seu amigo Pe. Guido Carcich dos Estados Unidos, Pe. José comprou um pequeno barco com motor à popa, visitando as comunidades do baixo do Rio Negro, que começava a fazer parte da paróquia palotina em Manaus.

Na chegada de Pe. José a Novo Airão, ele encontrou uma capela em estado muito precário. Mesmo assim, celebrava nela missas para a pequena comunidade. Na época, moravam na cidade, cerca de 490 habitantes e contava com muitas pessoas morando nas comunidades ribeirinhas à beira do Rio Negro. Pe. José viajava regularmente, visitando as aldeias indígenas e a dos caboclos, nas quais geralmente habitavam de três a cinco famílias.

Em junho de 1974, após a visita do provincial da Província brasileira de Santa Maria, Pe. José Pilon trocou a voadeira pela barca “Santa Maria do Rio Negro”, que foi sua casa por muitos anos. A compra dessa barca maior aconteceu depois da visita do provincial, ao tomar um grande susto com a aparição de um grande peixe paraíba, na praia do Rio Negro, onde ele estava com o Pe. José visitando uma comunidade. O peixe era mais ou menos do tamanho do barco do Pe. José. O provincial, percebeu assim, que a missão precisava de um barco maior. Encontraram, então, recursos para a construção do barco Santa Maria do Rio Negro. Em 1976, foi construída uma casa à margem do Rio Negro, em Novo Airão, no terreno que lhe foi concedido pelas autoridades locais. Pe. José não apenas fez o trabalho pastoral, mas também criou novas escolas – um total de 22. Ele ensinava as pessoas a ler e escrever e formou muitos jovens professores. A área de seu trabalho missionário se estendia por mais de 62.000 km2 e foi habitado por cerca de 5.500 pessoas. Era uma das áreas menos povoadas da Amazônia. Neste território teve em torno de 82 comunidades ribeirinhas (hoje são 41 comunidades). O povo do interior migrou para Novo Airão, que hoje possui mais de 17 mil habitantes.

Um dos padres que visitou a missão, em outubro de 1981, foi o Pe. Mariano Skorzynski, SAC. No entanto, esta visita não foi bem sucedida porque ele, junto a outros padres, fez uma viagem missionária pelo rio Negro e ao aportarem numa ilha, resolveu nadar, mas morreu afogado. Tentaram resgatá-lo, porém, não o conseguiram. Só no dia 17 de outubro seu corpo foi encontrado e logo depois, sepultado em Novo Airão (Amazonas).

À medida que o tempo passava, foi-se observando que a capela de Santo Ângelo era muito precária, inclusive ameaçando cair. Foi construída, então, no lugar dela uma capela da madeira itaúba, na mesma praça onde se encontra a igreja atual. Esta foi desmanchada quando a atual, de alvenaria, foi erguida. A igreja matriz foi construída nos anos de 1989– 992 com a ampla colaboração de mão de obra por parte da população local.

No ano de 1989, com a ajuda da benfeitora Sra. Carmen Teixeira, Pe. José construiu no terreno ao lado da casa paroquial a capela em honra de Nossa Senhora Auxiliadora. A construção é também fruto de grande devoção mariana do Pe. José. Devoção que se percebeu com o crescimento da Legião de Maria, que atua até hoje.

Em 1989, chegou a Novo Airão, Pe. Renato Dobek, que estava junto ao Pe. José até o ano de 1992, quando assumiu a paróquia de Nossa Senhora da Glória, em Manaus. No início do de 1999, Pe. Renato voltou para Novo Airão e no ano Jubilar de 2000, construiu a capela de Jesus Misericordioso.   Devido às dificuldades financeiras a obra foi concluída só no ano seguinte. Em 2003, foi construído o Centro Pastoral ao lado da matriz de Santo Ângelo. Pe. Renato teve grande influência na vida dos jovens, pelo viés esportivo, ensinando aos mesmos artes marciais como modo de eles saírem da ociosidade e crescerem em virtude.

Em maio de 2004, Pe. João Sopicki assumiu como pároco. Evangelizava o povo através do movimento Curso de Orientação Religiosa (COR), incentivava a devoção à Divina Misericórdia através da Festa da Divina Misericórdia e a oração diária do terço da Misericórdia. Com o fruto dessa devoção era feito sopão para as crianças carentes da paróquia. Pe. João ampliou o Centro Pastoral Nossa Senhora Auxiliadora e a casa paroquial. O calçadão da matriz ganhou também um palco.

No dia 22 de fevereiro de 2009, tomou posse como pároco Pe. Artur Karbowy. Logo depois, ele começou o trabalho intercongregacional com as Irmãs que moravam na casa ao lado da capela de Jesus Misericordioso. Elas ajudavam na catequese e no trabalho social da paróquia. Começaram a realizar os círculos bíblicos nas casas. Para a igreja matriz foram introduzidas as relíquias de Santa Rita de Cássia. Para as crianças foi feito o Projeto de Musicalização Infantil, que durante várias ocasiões apresentaram-se com flautas para o povo, especialmente no enceramento da novena de Natal, que começou a ser feita na praça principal com a participação de todos os moradores de Novo Airão. Em 20 de setembro de 2009, foi celebrado o jubileu de ouro da ordenação sacerdotal do Pe. José Maslanka. Para a Santa Missa chegaram vários amigos do Pe. José, junto ao arcebispo de Manaus Dom Luiz Soares Vieira, bispo da prelazia de Borba, Dom Elói Roggia SAC e o Reitor Regional da Região Mãe da Misericórdia, Pe. João Pedro Stawicki SAC.  Durante a festa do padroeiro, 05 de maio de 2011, a paróquia recebeu as relíquias de Santo Ângelo. Um pedaço do osso do santo padroeiro que foi trazido por Dom Frei Wilmar Santini do túmulo de Santo Ângelo da Licata, da Itália para a paróquia. A partir desse momento, o santo padroeiro está presente em Novo Airão não só em sua imagem, mas também com parte do seu corpo.

Em 28 de dezembro de 2011, tomou posse como pároco Pe. Marcelo Néspoli Magalhães. Foi iniciada a reforma da matriz e várias capelas no interior. Introduziu o Encontro de Casais com Cristo (ECC) além de vários casamentos coletivos que melhoraram a participação na Comunhão Eucarística, pois várias pessoas que eram impedidas da participação plena dos sacramentos pelas uniões ilegítimas, agora de fato, poderiam receber a comunhão.  Em 02 de fevereiro de 2015 chegou como pároco Pe. Stanislaw Krajewski.  Pe. Marcelo passa a ser vigário. Pe. Stanislaw começou a morar na antiga casa das irmãs ao lado da capela de Jesus Misericordioso.

No dia 06 de janeiro de 2017, festa da Epifania do Senhor, Pe. José Maslanka partiu para a casa do Pai. No dia seguinte, as cerimônias fúnebres foram presididas por Dom José Alburquerque de Araújo, bispo auxiliar de Manaus. Foi sepultado no cemitério de Novo Airão, ao lado do túmulo do Pe. Mariano Skorżyński.

No dia 04 de março de 2017, ocorreu a solenidade de dedicação da nova igreja a São Francisco. Presidiu a celebração, o bispo auxiliar da Arquidiocese de Manaus, Dom José Albuquerque. Logo depois, a capela de São Francisco ficou pronta e começou a reforma da matriz, trocando o telhado de madeira pela estrutura metálica. As capelas de várias comunidades ribeirinhas e indígenas foram reformadas. Observando o crescimento da cidade e agradecendo ao bom Deus pela vida de São João Paulo II, Pe. Stanislaw construiu em Nova Airão a capela dedicada a este santo. No dia 23 de janeiro de 2019 foi a despedida de padre Marcelo. Em seu lugar, em março, como novo vigário assumiu o Pe. Rafael Moura de Oliveira.

A igreja de São João Paulo II foi terminada em 2020, com a dedicação prevista para o centenário do nascimento do santo. Por conta da pandemia do covid-19 a dedicação da igreja foi transferida para o dia 22 de outubro de 2020, dia em que a Igreja celebra a festa de São João Paulo II. A Dedicação foi feita por Dom Leonardo Ulrich Stteiner, OFM Arcebispo de Manaus com a presença de Pe. Estêvão Lewandowski SAC, Superior Regional da Região Mãe da Misericórdia. Em 2021, chegou o novo vigário Pe. José Luiz Alves da Silva Júnior.

Notícias