Rua da Vinhosa, 648

Itaperuna – RJ

Pároco: Pe. Francisco José Marques Filho SAC

A Paróquia de Nossa Senhora do Rosário de Fátima foi fundada no dia 20 de dezembro de 1967 por decreto do bispo de Campos, Dom Antônio de Castro Mayer. Foi desmembrada das Paróquias de São José do Avahy em Itaperuna e de Nossa Senhora da Piedade em Laje do Muriaé. No ato de sua criação, seu território abrangia do rio Muriaé até a divisa com Laje do Muriaé e Natividade, unindo-se ao distrito de Retiro do Muriaé, seguindo pela rua Luiz Ferraz e Vinhosa até o Cristo Redentor, e até a rodovia Campos – Itaperuna, seguindo por essas vias até o limite de Italva e Bom Jesus.

Seu primeiro pároco foi o Pe. Cipriano Alvares Rodrigo. No dia da criação da paróquia a construção da Igreja já estava começada pelo Pe. Humberto Lindelaft. A Igreja já tinha as paredes levantadas, o telhado acabado e as portas no lugar. O pároco também tinha os cuidados pastorais do Hospital Regional Miguel Couto (hoje Hospital São José do Avahy). Em 12 de março de 1966, começaram encontros das primeiras pastorais da paróquia: Congregação Mariana e Apostolado da Oração. No dia 06 de abril de 1968 foi colocado o Santíssimo Sacramento no sacrário. No dia seguinte, Domingo de Ramos, foram abençoadas as imagens de Nossa Senhora de Fátima e de Nosso Senhor Crucificado, ambas vindas de Portugal e doadas pela família do Sr. Manoel Martins.

Em agosto de 1968 tomou posse como pároco o Pe. Higino Lateck, que ficou à frente da paróquia durante cinco anos. Em 1973, por um ano, Pe. Roberto Gomes Guimarães, pároco da paróquia de São José do Avahy, administrou a paróquia e no dia 12 de novembro de 1974 tomou posse o novo pároco Pe. Daniel Martins Ambrósio. Nessa época, começaram as construções das capelas de São João Batista em Jaboticaba e Nossa Senhora Aparecida no Bairro São Mateus. Tempo em que, no território da paróquia, havia também as capelas rurais: Nossa Senhora das Graças, Nossa Senhora da Paz na Floresta, São José no Avaí, Serra Negra-Serrinha e Sant’Ana em Retiro do Muriaé. No dia 07 de março de 1981, tomou posse como pároco Pe. Geraldo Gualandi. No mesmo ano ele pediu ao bispo nova demarcação territorial da paróquia, visto que a cidade estava crescendo. Assim, dentro do território da paróquia ficou a parte oeste da cidade, compreendendo as vias do rio Muriaé; seguindo pelo valão Porto Alegre, as ruas Júlio Cesar, Lenira Tinoco Calheiros, em linha reta até o morro do Cristo Redentor, e em linha reta até a paróquia de Bom Jesus do Itabapoana. 

Em fevereiro de 1982 o pároco Pe. Geraldo é afastado das funções sacerdotais pelo bispo de Campos, Dom Carlos Alberto Etchandy Gimeno Novaes. O motivo é de que não aceitava as reformas litúrgicas do Concilio Vaticano II. Esse acontecimento dividiu a paróquia. Nessa época, Pe. Lamar Cazolari assumiu a paróquia. Ele teve a difícil tarefa de unir os paroquianos em obediência ao Sumo Pontífice e ao Bispo.

Em março de 1987 a paróquia foi confiada aos cuidados dos padres da Sociedade do Apostolado Católico – palotinos. Em 02 de março de 1987, tomou posse o primeiro pároco palotino, Pe. Gregório Guzowski. Já no ano seguinte, no bairro Surubi começou a ser construída a capela de São João Batista. Com o bom desenvolvimento da comunidade, no mesmo ano, o bispo permite a instalação do sacrário na capela. Depois por um curto período, Pe. Casimiro Pac assumiu a paróquia. No ano 1989, o novo pároco foi o Pe. Estêvão Lewandowski. Em 15 de março de 1992, Pe. Stefan Kajfasz tomou posse como pároco. Em 1993, para a comunidade rural em Valão do Cedro foi construída a capela de Nossa Senhora da Glória e no Recanto dos Colibris a capela de Nossa Senhora Aparecida. Com o crescimento da comunidade, no dia 16 de fevereiro de 1997, da capela de Santa Rita de Cássia no bairro Lions foi criada esta Paróquia. O primeiro pároco, foi o Pe. Stefan. Depois, com a saída de Pe. Stefan para a nova paróquia o Pe. Jorge Chmielecki assumiu a responsabilidade pela paróquia. Com o crescimento das pastorais, movimentos e catequese, houve a necessidade da construção do Centro Pastoral no terreno em frente à igreja matriz. No novo milênio o trabalho foi realizado com grande empenho pelo novo pároco: Pe. Cristóvão Sopicki. No ano 2002, à frente da paróquia esteve o Pe. João Francisco Pietrus. Em 2004, o Pe. Anselmo de Souza Mantovani assumiu a paróquia. Em 2007 tomou posse como pároco Pe. José Stepinski. Em 2017 – no ano do Jubileu do Ouro da paróquia – desmembrou-se do seu território as capelas de São Joao Batista no Surubi e Santo Antônio no Asilo, que passariam a fazer parte da paróquia de Santa Rita de Cássia. Atualmente a paróquia tem quatro capelas: Nossa Senhora Aparecida no bairro São Mateus, Nossa Senhora Aparecida em Colibri, Nossa Senhora da Glória em Valão do Cedro, São João Batista em Jaboticaba. O exemplo da vida dos padres e de seus trabalhos na pastoral vocacional estão dando frutos de várias vocações à vida religiosa, tanto para a diocese como para os institutos da vida consagrada femininas e masculinas. De origem da paróquia há também padres palotinos: Pe. Adenilson Gomes Moreira, Pe. Juliano Guilherme da Silva e Pe. Saulo da Gama Silva. No dia 6 de janeiro de 2021, Pe. Francisco José Marques tomou posse como pároco.

Notícias