Rua Nª. Srª. de Fátima, 140

Largo da Batalha

Pendotiba

Niterói

Pároco: Pe. Josiel Azevedo da Silva, SAC

Vigário: Pe. Paulo Kowalczyk, SAC

Diácono Bruno Bauer Corrêa da Cruz, SAC

A história da Paróquia Nossa Senhora de Fátima começa muito mais cedo do que a construção da igreja matriz e da criação da paróquia. Antes da construção da igreja matriz as atividades religiosas eram realizadas na Capela de Nosso Senhor dos Aflitos, construída no ano de 1936, no bairro que tem o nome de Igrejinha, por conta de sua presença no local. Essa Capela era particular, pertencendo a família Cruz Nunes, que possuía grande quantidade de terra nessa região. A Capela foi cedida pela família para abrigar os movimentos e celebrações religiosas da comunidade de Pendotiba. Os padres que ali celebravam eram oriundos da Paróquia de São Francisco Xavier, tendo sido de iniciativa do pároco à época, Pe. Pedro Martinotti, a constituição de uma comissão para a construção da Paróquia em Pendotiba. A comissão funcionava com a orientação do padre Luiz Benigno designado pela Paróquia de São Francisco Xavier para essa tarefa. A primeira reunião dessa comissão, tendo como Presidente Sr. Camilo Pereira, ocorreu em 03 de janeiro de 1954, tendo como objetivo traçar as linhas de ação para a construção da igreja matriz a fim de poder instalar a futura Paróquia. A comissão ainda contava com 10 conselheiros e uma comissão de honra composta por 24 pessoas, que se reuniam periodicamente, a cada terceiro domingo do mês na residência da Sra. Emília Sarmento, doadora do terreno e membro da comissão de honra. A última reunião da comissão pró-construção ocorreu em 27 de junho de 1962, quando se tratou da celebração do 1º aniversário da instalação da nova Paróquia. O projeto da igreja foi apresentado pelo engenheiro arquiteto, Sr. Ramos. Desde a formação da comissão, procurou-se ocupar o terreno doado com as atividades religiosas e também aquelas voltadas para arrecadação de recursos econômicos. Procurava-se todos os meses fazer uma festividade em data que honrasse algum santo, no sentido de reunir a comunidade no local onde ergueria a igreja/templo para que pudessem ir se adaptando com esse novo espaço. Sempre que possível as celebrações tinham início na Capela de Nosso Senhor dos Aflitos e o término no outeiro de Nossa Senhora de Fátima.

A construção teve início pelo salão e casa paroquial. O salão se constituiu em alguns períodos, em cinema, onde se projetavam filmes para a comunidade como meio de arrecadar fundos visando a compra de material de construção. Além disso, o espaço abrigou por diversos anos as celebrações litúrgicas e as atividades sociais (curso de alfabetização; corte e costura; bordado; atendimento médico; distribuição de alimentos e medicamentos). A catequese acontecia nas casas das catequistas e as crianças também foram convidadas a participar nessa grande obra, através da coleta de areia nos rios que banhavam a região à época.

A Paróquia foi criada em abril de 1961, sendo desvinculada das Paróquias de São Francisco Xavier (Saco de São de Francisco) e de Nossa Senhora Auxiliadora (Santa Rosa). Na ocasião foi determinada a construção do prédio provisório da igreja e da casa paroquial, o que levou cerca de sessenta dias para ficar pronto. A igreja constituiu-se de uma pequena capela (hoje abriga a secretaria, as atividades da Pastoral da boa vontade e o material dos vicentinos), que passou a sediar as celebrações litúrgicas (missas, casamentos, batizados, primeira eucaristia, etc.), e que mais tarde serviu de base para o prédio da igreja matriz, pois seu espaço não suportava o número de fiéis que participavam dos ritos. A instalação da Paróquia foi feita em 09 de julho 1961 pelo Arcebispo Dom Antônio de Almeida Moraes Júnior. Nesse dia de muita alegria o Arcebispo celebrou a primeira missa e consagrou o prédio provisório da Matriz. O primeiro Pároco – Pe. Raymundo Peretti Guimarães – tomou posse no dia 15 de agosto de 1961.

O primeiro movimento pastoral que se tem notícia e registro foi o Apostolado da Oração, criado em 03 de maio de 1941, nas instalações da Capela Nosso Senhor dos Aflitos. Era o Apostolado que inicialmente se responsabilizava pela catequese das crianças na comunidade. Atualmente funcionam na Paróquia muitos movimentos, pastorais e atividades sociais, voltados para faixas etárias diferenciadas – desde a infância até a terceira idade.

Em abril de 1965 tomou posse como pároco Pe. Luiz Frás, que ficara à frente da paróquia até o seu falecimento em 1975. Neste tempo teve o grande avanço na construção da Igreja Matriz e desenvolvimento de catequese, curso de alfabetização e ajuda dos necessitados. Tempo em que surgiu o grupo jovens JUCAPEN – Juventude Católica de Pendotiba. O crescimento espiritual dos paroquianos foi visto pelo maior número dos participantes nas celebrações dos sacramentos e atividades pastorais. O novo pároco, Cônego Paulo Hermógenes, tomou posse em janeiro de 1976. A construção da igreja entrou em última fase, foram colocadas janelas e construída a cripta de Sagrado Coração de Jesus.

Em 13 de fevereiro de 1980 chegou à paróquia o Pe. Libero Zappone dos Padres Tomaneses com o propósito de ficar um ano para ver possibilidade de implantar a própria comunidade religiosa na paróquia. Nesse tempo foi instalado o Conselho Paroquial, escolinha de fé e catequese para os adultos. O território da paróquia foi ampliado através das capelas de São Sebastiao (13 de abril de 1980), reabertura da capela Nosso Senhor dos Aflitos (07 de junho de 1980), capela Nossa Senhora da Conceição e São José (25 de maio de 1980) e da capela de Santa Edwiges.

Em 25 de janeiro de 1981, Pe. Libero despediu-se da paróquia. Em 30 de janeiro do mesmo ano a paróquia foi assumida pelos padres da Sociedade do Apostolado Católico, palotinos. No dia seguinte foi dada a posse de Pe. Ceslau Zajac, junto ao Pe. Jan Janik, que começaram os trabalhos na paróquia e atendiam também as capelas da região oceânica: Nossa Senhora da Penha em Piratininga e Nossa Senhora do Bonsucesso. Depois de um ano houve a troca dos padres. Em 05 de janeiro de 1982 chegaram novos padres palotinos: Ludovico Homa e João Sopicki. Nesse ano também chegou de Portugal a nova imagem de Nossa Senhora de Fátima. Os dois incentivaram os jovens a participar ativamente na paróquia. Com o desenvolvimento das atividades pastorais e catequese a comunidade de São Lázaro começou a fazer parte da paróquia. Pe. Ludovico iniciou a construção do Centro Educacional de São Vicente Pallotti. Para comprometer a comunidade cada vez mais nas atividades da igreja foi realizada a assembleia paroquial. Pe. João Sopicki foi substituído pelo Pe. João Antônio Baraniecki. No dia 23 de maio de 1988, por motivo da saúde Pe. Ludovico se despediu da paróquia e para o lugar dele veio o Pe. Tadeu Domanski. Além de várias celebrações religiosas, neste tempo foi construída a torre da igreja. A Matriz de Nossa Senhora de Fátima passou a ser um marco na localidade de Pendotiba, sendo chamada durante um período de “igreja de neon” devido ao acabamento da torre, a qual mantinha visibilidade por todos que passavam pelo Largo da Batalha. Também foram feitas as reformas da casa paroquial e a construção de salas de catequese na torre. Pe. Tadeu começou a celebrar as missas para as crianças da catequese e implantou o jornal “O Rosário”. A capela de Nossa Senhora Aparecida começou fazer parte da paróquia. Pe. Tadeu deixou a paróquia em fevereiro de 1997, no lugar dele retornou o Pe. João Antônio Baraniecki. Uma das primeiras iniciativas do novo pároco foi a criação do grupo Filhas de Maria para as meninas da comunidade e incentivar os trabalhos com os coroinhas. Junto ao crescimento espiritual foram inaugurados os dois salões paroquiais. Para buscar integração da paróquia foi reativado o jornal, agora com o nome de “Folha de Fátima”.

Em 2005 tomou posse como pároco o Pe. Marcos Karny. Para acolher os casais da segunda união foi criado a pastoral Bom Pastor. Também começaram as obras de ampliação da capela de São Sebastiao e foi aberto um ambulatório dentário. A Paróquia tornou se centro de formação dos catequistas de vicariato oceânico através do Curso de Preparação para Catequese CPC. Tendo em vista o jubileu de ouro da paróquia, começou a reforma da matriz. No dia 18 de maio de 2008, o domingo da Santíssima Trindade, na igreja matriz, Suzana Correia da Conceição, de 31 anos, que sofria uma atrofia muscular do braço e da mão direita, com comprometimento funcional grave, foi curada pela intercessão da Elisabetta Sanna. Depois da apresentação do milagre ao arcebispo de Niterói Dom Alano Maria Pena e o postulador do processo de beatificação de Elizabetta Sanna, Pe. Jan Korycki.  O pároco Pe. Marcos foi nomeado vice-postulador da causa da beatificação. Em 17 de setembro de 2016 em Saccargia (Sardenha, Itália) ocorreu a beatificação de Elisabetta Sanna. O jubileu foi celebrado com a presença do arcebispo de Niterói Dom Alano Maria Pena no dia 9 de julho de 2011. No final da missa foi abençoada a nova Via-sacra. Em 2015 chegou um novo pároco, o Pe. Cristóvão Sopicki. Foi construída a capela com o quadro de Jesus Misericordioso no pátio da igreja, e outras obras. Dois anos depois tomou posse como pároco Pe. Jorge Chmielecki. Ele fez uma obra na capela do Santíssimo, e ainda fez um consultório médico.  Em 2019 a comunidade recebeu o atual pároco Pe. Josiel Azevedo da Silva. No dia 31 de julho de 2019 Dom Roberto Ferreria Paz, bispo da Diocese de Campos, presidiu a Santa Missa com a presença de Pe. Jacob Nampudakam, Reitor Geral da Sociedade do Apostolado Católico, e dos Superiores Maiores Palotinos da América Latina. Em 15 de fevereiro de 2020, na igreja matriz, Dom José Francisco Rezende Dias pela imposição das mãos ordenou o padre José Luiz Alvez, palotino de origem da paróquia.

Notícias